Fluorose: Como identificar e o que fazer?

Fluorose. Medos, mitos falta de informação fazem do tema fluorose um bicho de sete cabeças. Pensando em descomplicar tudo isso, a Dra. Luciana Westin esclarece perguntas básicas em sua Coluna de Odontologia Infantil. Lembre-se de levar seu filho ao dentista e certifique-se que esteja fazendo a higienização correta. Ensinar cuspir a pasta dá preguiça mas é essencial no aprendizado da escovação. Esperamos que gostem porque informação é vida.

 

 

Fluorose

 

O flúor tem uma importância significativa no uso diário para estabelecer e manter uma concentração ideal na saliva e no biofilme dental, a fim de controlar a desmineralização do esmalte do dente. Distúrbios no equilíbrio entre esses minerais que formam a estrutura dentária e os fluídos bucais resultarão em um sistema de perda desses mineirais, dando origem à lesão de cárie ou ainda erosão dental.

O flúor traz grandes benefícios terapêuticos e preventivos para a saúde bucal. Porém se ele for utilizado inadequadamente pode provocar efeitos colaterais. A ingestão excessiva, pode causar intoxicação e por esse motivo deve-se respeitar parâmetros de segurança tanto no ambiente domicilar (quantidade de pasta de dente na escova) ou em consultório (aplicações periódicas de flúor profissional).

O aspecto clínico da fluorose caracteriza-se principalmente pela alteração de cor no dente. Essa alteração pode ser suave com pequenas manchas ou linhas brancas e nos casos mais graves, essas manchas podem adquirir uma coloração mais acastanhada ou marrom, podendo ainda haver perda de estrutura dental. Nos casos mais graves, o dente fica mais frágil.

Fluorose

Fluorose

Fluorose leve

Fluorose

 

Fluorose grave

Atualmente, a maior causa da fluorose é a ingestão de produtos fluoretados como complexos vitamínicos contendo flúor, comprimidos ou medicação em gotas com flúor, em locais que já existe água fluoretada. Além do uso em quantidade inadequada de pasta de dente com flúor. A quantidade deve ser respeitada e orientada pelo odontopediatra, pois muitas crianças engolem o dentifrício durante a escovação.

 

Fluorose

Durante a gestação também não há necessidade de ingerir suplemento de flúor, esse flúor é passado para o bebê através da placenta. Sabe-se atualmente que a principal ação preventiva é a própria escovação e higiene bucal adequada. Esta é a melhor forma de garantir um desenvolvimento bucal saudável para o bebê.

Não é comum ocorrer fluorose nos dentes de leite, pois mesmo que a gestante ingerisse flúor em excesso, receberia a proteção da placenta passando apenas uma parte do flúor circulante, mas se ocorrer a fluorose tem um aspecto semelhante as manchas dos dentes permanentes.

Outra dúvida comum é se a fluorose passa de uma dentição para a outra. Não, pois ela ocorre durante o período da formação dos dentes e dentes de leite e permanentes se formam em épocas diferentes. Mesmo na dentição permanente, a fluorose pode afetar alguns dentes e outros não. O período de maior risco de fluorose é até os 6 anos de idade, quando os dentes estão se formando.

Os dentes com fluorose são mais resistentes à cárie dental, mas não são imunes a ela. Por isso, a criança exibindo atividade de cárie mesmo tendo manchas brancas de fluorse, deve receber a mesma atenção preventiva que o paciente sem fluorose.

Se meu filho não sabe cuspir ele corre o risco de ter fluorose?

Ele irá correr risco de ficar com os dentes manchados por fluorose se a pasta de dente com flúor for usada indiscriminadamente, sem cuidado e em quantidade excessiva. Como já falamos aqui em posts anteriores, o dentifrício com flúor deve ter 1,100ppm de flúor e a quantidade deve ser respeitada para cada idade da criança. A importância de levar a um odontopediatra para ter todas as orientações é fundamental para evitar cárie e fluorose.

O que fazer se houver a fluorose?

A fluorose leve passa quase desapercebida. Muitas vezes não dá para se notar as manchas brancas nos dentes. A fluorose se torna prejudicial quando a estética é prejudicada e começa a incomodar a criança e os pais. A maioria dos casos observados atualmente são de fluorose muito leve, em que as manchas ou linhas brancas ficam muito disfarçadas quando o dente está úmido pela saliva e não é necessário nenhum tratamento.

Se for melhorar a estética, existem alguns tratamentos que vão desde microdesgaste do esmalte até técnicas restauradoras e estéticas. O mais importante é prevenir a fluorose tomando certos cuidados com a ingestão de excesso de pasta de dente, ingestão de medicações contendo flúor e obtendo orientações profissionais.

 

Já falamos sobre o  uso do flúor  clique aqui!

Já desmisticamos o flúor clique aqui!

 

luciana westin

1 Comment on Fluorose: Como identificar e o que fazer?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *